Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Últimos Acessos

Saiba mais sobre

Como fazer uma pequena horta em casa

Dicas simples e eficientes para facilitar a manutenção de um jardim com alimentos, temperos e ervas

Efraimstochter / Pixabay / CC0 Creative Commons

Com um pouco de dedicação, torna-se fácil fazer um cantinho para cultivar plantas aromáticas

A preocupação com o meio ambiente tem suscitado mudanças comportamentais na sociedade. As hortas feitas em casa são vistas atualmente como opção para atender pequenas demandas de alimentos. Diferentemente do que muitos pensam, ter uma horta em casa é fácil e exige apenas alguns minutos diários de dedicação. A falta de espaço não é justificativa para não cultivar alimentos, temperos e ervas, pois a criação de uma horta vertical pode ser a solução. Começar corretamente a criação do seu cantinho aromático garante sucesso e diminuição de futuros problemas. Por isso, é importante atentar para os seguintes aspectos:

Sol

Todas as ervas e temperos requerem no mínimo entre quatro a cinco horas de sol diário e direto. A iluminação indireta por vidros não surte efeito. Existe o conceito errado de que muito sol pode danificar a plantação. A maioria das espécies aromáticas é proveniente de locais com grande insolação em certos períodos do ano, como o Mediterrâneo. São os reflexos do calor intenso, a escassez de água e a falta de sol que comprometem o desenvolvimento de uma horta. Uma plantação sem sol pode apresentar considerável desenvolvimento inicial, mas com o passar do tempo, a planta pode se tornar esguia, ou seja, seus ramos se alongam e se fragilizam. Como a escolha do local de montagem é essencial para seu bom desenvolvimento, opte por cultivar em locais voltados para a face norte.

Vaso com ervasComo fazer a drenagem?

A diminuição ou ausência de quintais nas cidades dificulta o cultivo em canteiros diretamente no solo. Com isso, vasos e jardineiras se tornam a solução mais acessível. Um agrupamento de vasos aromáticos é fácil de fazer e charmoso, mas é preciso prestar atenção na elaboração. Todo vaso ou jardineira deve ter drenagem para a água, pois, se não houver escoamento, o excesso não sairá e a raiz apodrecerá em algumas semanas ou meses.

O vaso de plantio deve ter furos na parte de baixo. Você pode fazê-los caso o recipiente adquirido não os tenha. Antes de plantar a muda, coloque uma camada moderada de argila expandida ou pedra brita de forma a cobrir o fundo do vaso. Depois, ponha uma camada fina de areia de construção ou uma de manta de drenagem suficiente para tampar as pedras abaixo. Em cima dessa camada, cubra com terra orgânica. A quantidade poderá variar de acordo com a profundidade do recipiente. Agora que está tudo pronto para o plantio, insira a muda no centro do vaso com o final do torrão precisamente na altura da borda do vaso.

Depois disso, preencha o entorno da muda com mais terra até a borda do vaso e empurre a terra para baixo com os dedos de modo a eliminar qualquer espaço sem terra. É essencial em qualquer plantio não desfazer ou mexer demais no torrão da planta, pois isso pode prejudicar a planta. A última etapa é a regar intensamente até a água sair pelos furos do vaso. Deixe o vaso recém-plantado protegido do sol direto e da chuva por dois dias. Depois, disponha no lugar definitivo para receber sol direto.

Rega

A rega correta é um dos fatores essenciais para o sucesso de uma horta. Antes de fazê-la, é preciso perfurar a terra com o dedo e verificar se camada mais funda está úmida. Se estiver, não é a hora de regar ainda. É comum basear-se na camada superficial para saber a condição de umidade do solo. Esse conceito é errado, pois ela pode estar seca, mas a mais profunda úmida ou mesmo encharcada. Prefira regas leves e mais frequentes à regas intensas, mesmo que isso signifique regar duas vezes ao dia. Cada espécie possui sua demanda de água, mas nenhuma gosta de solo encharcado. Em períodos de intenso calor, prefira regar nos momentos mais frescos do dia, pois a secura e a compactação da terra dificultarão o escoamento para o fundo do vaso.

Afofamento e adubação

Todo vaso, jardineira ou canteiro deve ter sua terra frequentemente afofada. Isto permite que a água, o ar e os nutrientes provenientes da água e do adubo penetrem no solo. Geralmente, o período após o plantio requer maior frequência de afofamento, pois a terra nova tende a ficar mais compactada. Para um afofamento correto, use um ancinho ou faca sem serra. Assim como a rega, não há uma frequência certa, tudo pois depende da condição da terra do vaso. Ao plantar sua muda de erva ou tempero, incorpore um pouco de adubo na terra caso ela não tenha. Depois, repita o procedimento a cada 30 a 40 dias.

Foto: Flickr / Children's Organization of Southeast Asia