Criação

A filosofia de Boécio pode ser vista como uma tentativa teológico-cristã de resolução metafísica à problemática da filosofia grega entre forma e matéria, universal e particular.

A principal estratégia boeciana está em articular a idealidade das formas puras da filosofia de Platão e a noção de realidade que decorre da compreensão de matéria de Aristóteles. A isso se soma a compreensão estoica, racionalizada da realidade.

O caráter cristão de Boécio está na tentativa de explicar a ideia de Deus nesse vínculo entre natureza e mundo suprassensível, entre o tempo do homem na natureza e a eternidade divina. Ambos os domínios estão vinculados em uma relação de causalidade, estendendo-se por todos os elos da cadeia. O conhecimento limitado do homem sobre essa cadeia causal é o que o leva ao erro e ao pecado. A fé estaria nessa mobilização do desejo para uma compreensão adequada da natureza e de sua essência.

A religiosidade é o elemento que une o conhecimento do mundo ao conhecimento metafísico que o ultrapassa e que serve como guia e orientação para o exercício da ciência, como as matemáticas, a música e o conhecimento filosófico.

Para pensar

Qual era, para Boécio, o objetivo da filosofia?

Boécio se questionava se a filosofia poderia ter um papel positivo na busca humana de uma existência harmônica, pacificada e —por que não — mais feliz? O problema implicado aqui é o de se associar a...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema