Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Pitanga: a frutinha do bem-estar

Ela pode ser consumida in natura, em sobremesas, doces, sucos, chás e pratos agridoces

Alex Popovkin, Bahia, Brazil / Flickr / CC BY 2.0

Assim como a acerola, a pitanga contém bons níveis de vitamina A e vitamina C, poderosos antioxidantes

Típica brasileira, a pitanga (Eugenia uniflora) é conhecida pelo seu sabor e aroma marcantes. Comum em pomares caseiros, ela é considerada um alimento funcional, pois seu alto valor nutritivo traz inúmeros benefícios à saúde. Além disso, os produtos feitos com e a partir da fruta já têm espaço garantido quando o assunto é cosméticos. Apesar de deliciosa, a pitanga não é fácil de ser encontrada em mercados e feiras, o que contribui para o baixo consumo da fruta por parte da população.

A pequena fruta pode ser encontrada em regiões como a Sudeste e Sul do Brasil. A fácil adaptação climática contribuiu para sua expansão pelo mundo. Países do continente americano, europeu e asiático, como China e Estados Unidos, têm indícios da pitanga em suas terras.

A pitanga tem boa quantidade de carotenos, os quais fornecem vitamina A para o organismo. Essa substância é essencial para o bom funcionamento da visão, do sistema imunológico e para manter a pele saudável. A presença de vitamina C e do complexo B também auxiliam na produção de energia e no combate aos radicais livres, os quais causam o envelhecimento precoce das células e contribuem para o aumento de doenças crónicas.

“A pitanga apresenta efeitos anti-inflamatórios, diuréticos, anti-hipertensivos e hipoglicemiantes, tornando-se um excelente alimento para ser consumido por diabéticos e hipertensos, pois possui ação hipoglicemiante e vasodilatadora, bem como um reduzido teor de sódio”, declara o nutricionista Fabrício Gomes.

Ilustração botânica da pitanga mostrando frutas, flores e folhas

Além dessas vitaminas, a fruta também possui magnésio, fósforo, fibra alimentar, lipídios e manganês. Esses elementos ajudam a fortalecer os ossos e dentes, regular o intestino e manter o metabolismo no organismo. “Como a pitanga possui baixo valor calórico, por conta dos poucos carboidratos e lipídeos, pode ser facilmente inserida nas refeições de pessoas que querem emagrecer por meio de uma boa reeducação alimentar”, reitera Gomes. Assim como o kiwi, a tangerina e a laranja, a pitanga é uma aliada para tratar dos primeiros sintomas da gripe. O indicado é tomar de dois a três copos diários de seu suco.

A pitanga é uma das frutas brasileiras mais utilizadas na indústria cosmética. As suas sementes são ricas em compostos fenólicos, que possuem uma potente ação antioxidante. Entre os cosméticos e produtos de higiene feitos com e a partir da fruta destacam-se hidratantes, sabonetes, perfumes, maquiagem e shampoos.

Mas não é só para a beleza que a pitanga é usada. A culinária brasileira ganha muito com receitas deliciosas da fruta, que não tem restrições a seu consumo. Além de in natura, a pitanga pode ser consumida em bolos, geleias, tortas, sorvetes, doces e molhos em pratos agridoces. O suco feito com a fruta também é uma boa opção para o dia-a-dia. Porém, o mais indicado é ingerir a bebida assim que for feita, para não perder todos os seus nutrientes. O chá preparado com as folhas da fruta é bom para tomar nos dias mais frios acompanhado de um bom pedaço de bolo.

Sempre é bom ressaltar que todos esses benefícios das propriedades da fruta se conseguem por meio de sua constante ingestão. Se deseja ter um corpo saudável, o aconselhável é evitar as dietas da moda e aderir a uma alimentação equilibrada. De acordo com o nutricionista, é de suma importância a moderação na hora das refeições. “Na nutrição, trabalhamos pautados em quatro pilares: qualidade, quantidade, harmonia e adequação. Devemos lembrar que tudo em excesso faz mal e que quanto mais conhecemos sobre os alimentos, mais fácil torna-se para nos alimentarmos de acordo com nossas necessidades”, finaliza.

Foto: Swallowtail Garden Seeds / Flickr