fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Alimentação » Asiática » Gerais

Asiática

Como vender sushis: do material necessário ao delivery

Antes de começar a ofertar o seu sushi para clientes, é muito importante saber as formas de fazer isso. Afinal, a logística do negócio vai muito além de apenas fazer o produto, pois também é preciso pensar no preço e na entrega. São alguns detalhes de questionamento que farão a diferença: se possui espaço suficiente […]
Equipe Namu
10/02/21
Antes de começar a ofertar o seu sushi para clientes, é muito importante saber as formas de fazer isso. Afinal, a logística do negócio vai muito além de apenas fazer o produto, pois também é preciso pensar no preço e na entrega. São alguns detalhes de questionamento que farão a diferença: se possui espaço suficiente para isso, quais canais de venda vai utilizar e os ingredientes que precisa comprar. Ou seja, é importante ter planejamento e buscar fontes confiáveis que ensinam a você o que precisa conhecer. Saiba mais neste e-book!

Quais materiais e infraestrutura você precisa?

Primeiramente, para começar a vender seus sushis você precisa organizar o espaço necessário. Além de ter uma cozinha equipada, as normas da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estabelecem que o local deve ser limpo e conter lixeira acionada por pedal. Além disso, o ambiente também deve ser climatizado por ar-condicionado e manter as portas fechadas durante a manipulação dos alimentos, para evitar sujeiras e a entrada de insetos no local.   Além das exigências mencionadas anteriormente, há ainda normas que dizem respeito ao sushiman, ou seja, o manipulador dos ingredientes. Ele deve usar uniforme limpo, que deve ser trocado diariamente. Além disso deve estar de barba feita e usar touca nos cabelos. Mas, você pode optar também pela bandana.   Depois disso, é hora de pensar nos materiais. É claro que quanto mais material você tiver, melhor, mas também pode se ajustar no início para ter apenas o necessário. Conforme a demanda aumentar, pode melhorar os utensílios também.   Sem dúvida, a faca é o utensílio mais importante, e ela deverá ser de boa qualidade. A Yanangiba é uma das mais utilizadas no caso de sushis.   Você precisará também da esteira de sushis, chamada de Makisu, além da tábua de polietileno. Aqui é importante ficar atento: as tábuas de madeira não são permitidas pela ANVISA nesse caso. Esses são os materiais mais importantes, mas você certamente precisará de outros mais comuns:
  • Forma;
  • Potes;
  • Colheres;
  • Hashi para cozinhar;
  • Shamoji (pegador de arroz).
  Já para usar cada um desses utensílios, você precisa de um bom sushiman como professor. No curso Sushis tradicionais e culinária contemporânea japonesa é possível aprender os principais detalhes para saber como vender sushi a partir de receitas práticas. 

Clientes

Quem serão os seus clientes? Qual cardápio escolher? Essas são dúvidas muito comuns entre todos aqueles que desejam aprender como vender sushi e saná-las é muito importante para o seu negócio.   Em primeiro lugar, saiba que os seus futuros clientes além de apreciadores da culinária japonesa, são também amantes da gastronomia saudável. Isso porque uma dieta a base de peixes e frutos do mar, bem como de vegetais e cereais é fonte de ômega 3, ferro, cálcio entre outros nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo.   Já a escolha e o preparo do cardápio dependem de várias questões, como demanda, investimento inicial e custo-benefício final. Nesse sentido, o próprio perfil de cliente vai te ajudar com esses fatores. Mas como definir o perfil de cliente? Nesse caso, algumas perguntas ajudam:
  • Onde estão os clientes? No bairro ou em localidades próximas ao estabelecimento? Esse detalhe fará diferença na hora de escolher uma embalagem que permita o deslocamento do produto, mantendo o seu frescor e aparência. 
  • Qual o poder aquisitivo deles? Todas as classes gostam de comida japonesa, se você optar por usar elementos mais sofisticados e sérios, poderá praticar um preço mais alto, mas pode afastar alguns clientes. Se optar por algo mais descontraído e praticar um preço mais acessível, poderá vender para uma quantidade maior de pessoas, com lucros menores a cada venda.
  • São homens, mulheres e/ou jovens? Compram para si mesmo ou para a família?
  A partir dessas respostas você pode ainda questionar alguns hábitos que irão te ajudar a definir seus canais de venda:
  • Esse público costuma pedir comida online ou ir a restaurantes?
  • Se pedem online, quais canais usam e em que ocasiões? 
  • Se frequentam restaurantes, qual a região?
  • Com que frequência consomem esse tipo de produto? É importante saber se você precisará focar mais em fidelização de clientes ou em aquisição de clientes novos. Se os clientes estão dispostos a comprar sushis toda semana, por exemplo, é interessante planejar um cartão fidelidade para que ele tenha descontos após algumas compras com você.
  Anote todas as respostas em um documento e use como guia ao longo do restante do planejamento, do cardápio, preço, escolha dos canais de venda e construção da sua marca. E fique tranquilo, você não precisa estar 100% correto logo no início, quando conseguir seus primeiros clientes conseguirá testar se suas suposições estavam corretas. Faça pequenos ajustes no plano se precisar.   Se mesmo com todas essas perguntas você sentir dificuldades em montar cardápios variados e criativos, uma dica é apostar no curso online de shushis do chef Fabrízio Matsumoto. Durante as aulas ele explora várias possibilidades de cardápios, todos com apresentações caprichadas.

Onde vender?

Pensar como vender sushi também inclui saber onde irá vender. Você poderá alugar um espaço próprio para isso e montar uma loja física, por exemplo. Contudo, é claro que essa primeira opção exige mais investimento.   Agora, se o seu orçamento ainda não te permite ter um espaço físico, que tal apostar apenas na venda por delivery? Assim é possível produzir em casa e vender, seja com entrega própria ou de parceiros.   Não se esqueça de que em qualquer um desses casos deve seguir as normas da ANVISA para a produção. Já para entregar, o ideal é contratar um motoboy ou se filiar a um dos muitos aplicativos de entrega de comida como o iFood ou o Uber Eats, por exemplo. Mas antes de qualquer coisa procure saber como cada um funciona, se a região que atende está de acordo com a do seu plano e o lucro em cima das vendas.   Contratar um motoboy pode ser uma boa alternativa se você já tem clientes ou pretende investir em marketing digital, pois você poderá realizar a venda direta e ficar com 100% do lucro. É necessário calcular quanto precisa adicionar de valor de entrega para que no fim do mês seja possível pagar o salário do motoboy, que será seu funcionário.   Optar por aplicativos de entrega é uma boa opção para conseguir clientes, pois eles funcionam como uma plataforma de marketplace. Outro ponto interessante é que a contratação de motoboys e gestão da entrega também é função dos aplicativos, portanto, se você tem pouca experiência pode ser uma boa alternativa para começar a vender e entender melhor o seu público-alvo. O importante aqui é verificar as taxas cobradas por cada aplicativo, alguns chegam a cobrar 20% em cima do valor total da refeição vendida, portanto, é necessário garantir que a % de lucro seja mais alta que o % cobrado pelo aplicativo.  

Compra dos ingredientes

Além de ter os utensílios certos, saber onde comprar os seus ingredientes é uma forma de economizar, mas sem perder a qualidade. Essa, inclusive, é uma das dicas e segredos de carreira que o sushi chef Fabrizio Matsumoto compartilha no curso disponível no Namu.   Quando você pode ter essa dica de um profissional já experiente, com certeza evita erros pelo caminho no seu negócio. É importante pensar também na qualidade, afinal, comprar mais do que a demanda é ruim, mas o contrário também.   Portanto, um bom curso ajuda justamente a prever e balancear essa questão. Assim, você evitará desperdícios, mas também não precisará deixar de atender por falta de ingredientes.

Como vender sushi: canais de divulgação

De que adianta saber como vender sushi e não divulgar isso? Os canais de comunicação do seu produto também serão importantes, entenda como canais de comunicação todas as formas de contato dos seus clientes e potenciais clientes com o produto. Ou seja, a própria embalagem é um canal de divulgação.   Esteja atento a alguns itens:
  • Marca: é uma representação visual e personalidade da sua empresa, alguns elementos seriam a escolha do nome, símbolos, cores, embalagem se for delivery e arquitetura se for uma loja física. Escolha elementos que combinem com o público que você planejou para seus sushis, pergunte para pessoas a sua volta a opinião delas, talvez seja interessante contratar um designer para montar o logo e elementos gráficos, tenha claro a mensagem que quer passar para poder passar o briefing correto para o designer.
  • Redes sociais: são um canal gratuito de comunicação com seus consumidores, você pode postar fotos dos seus alimentos, promoções, frases, entre outros. Existem várias opções, então pense no público que você definiu para a sua marca e tente imaginar quais mídias sociais esse público mais usa: Twitter, Instagram, Facebook, WhatsApp, entre outras, e comece pelas que acredita que mais valem a pena, é importante manter uma constância nos conteúdos postados e responder comentários, ou seja, estar presente de fato.
  • Cardápio: é possível apostar em poucos produtos que mais vendem, ou ter muitas variedades para agradar públicos variados, tenha em mente sua capacidade de armazenamento e produção. No curso de Sushiman o chef Fabrizio Matsumoto ensina receitas e técnicas para desenvolver um cardápio completo que se adeque ao seu perfil.
  • Ponto de venda: também é importante pensar na sua marca nos aplicativos de delivery ou outro canal que você for utilizar, as cores, fotos e disposição são importantes aqui também, pense que os aplicativos funcionam como um shopping, e seu negócio é a vitrine para potenciais clientes.
  • Promoções: planeje também algumas promoções ao longo do ano para conquistar novos clientes ou trazer de volta clientes que estão há um tempo sem comprar. Importante traçar qual o seu objetivo com a promoção, se é conquistar novos clientes, vender mais em uma data comemorativa, isso vai indicar qual a comunicação principal e quantos recursos você irá precisar.
  Aposte nas redes sociais para passar confiança, credibilidade e a qualidade do seu produto aos clientes!

Procure dicas exclusivas

Você já percebeu que é possível criar um negócio do zero com um planejamento básico, mas você já sabe como montar um cardápio diferenciado e fazer o seu produto se destacar? Ou, ainda, como uma apresentação inovadora pode deixar aquela lembrança especial?   Se ainda não sabe como resolver essas questões, então está na hora de investir em conhecimento. Nesse sentido, as aulas online com um professor experiente se mostram bem eficazes, pois por meio delas você não somente aprende a preparar as receitas, mas também como vender sushi do jeito certo.  Isso porque durante as aulas você terá acesso a dicas valiosas para evitar o desperdício e conservar os ingredientes. Dessa forma, você terá uma ótima margem de lucro no seu negócio. Gostou? Então faça a sua inscrição no curso online Sushiman - Sushis tradicionais e culinária contemporânea japonesa do Namu e aproveite todo o potencial que a gastronomia japonesa pode oferecer à sua saúde e às suas finanças.  

Recomendados
Gerais

Lancheira infantil barata e saudável | Volta às aulas

Sabemos que a preocupação de muitas famílias é ...

Gerais

Como se manter saudável na quarentena

Desde março de 2020 o isolamento social, medida...