fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Alimentação » Bebidas » Gerais

Bebidas

Café, antioxidante poderoso

A bebida, além de conter nutrientes, reduz os riscos de problemas no coração e sintomas de asma
Da redação
11/11/15

Imagine uma semente que é um potente antioxidante, útil na prevenção da doença de Parkinson e diabetes, rica em vitamina B, lipídios, aminoácidos, açúcares, potássio, cálcio, que pode prevenir ataque cardíaco, aumentar a concentração, diminuir a mortalidade por doenças cardíacas, melhorar o desempenho dos espermatozoides, reduzir o risco de morte por câncer bucal, prevenir a depressão em mulheres. É relativamente barata, presente até em cestas básicas. Sim, todo esse potencial pertence ao café.

Mitos e pesquisas

Apesar de alguns o considerarem prejudicial, as pesquisas atuais mostram que o consumo moderado de café, na maioria dos casos, traz benefícios à saúde. A literatura especializada aponta que entre os que consumem a bebida há menor probabilidade de apresentarem doenças inflamatórias, cálculo biliar, diabetes, AVC (derrame) e tendem a viver por mais tempo.

Mesmo asmáticos podem se beneficiar da dilatação dos brônquios advinda da cafeína. O hábito dos fumantes tomarem café logo após o cigarro é uma forma de contrabalancearem a constrição pulmonar causada pela fumaça. As informações são do National Institutes of Health (NIH), agência de pesquisas médicas do governo norte-americano e também de outros estudos acadêmicos. Ressalte-se que estatísticas não são certezas, e sim, probabilidades.

Pesquisas holísticas

A função antioxidante e preventiva às doenças cardíacas foi também observada por Daniel Perrone, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em sua tese de doutorado Efeito da torrefação sobre os aspectos benéficos e prejudiciais do café à saúde humana: uma abordagem holística, Perrone identificou potenciais antivirais, antibacterianos e anti-hipertensivos, entre outros.

Café e coração

Pesquisas indicam que há menor probabilidade de morte por problemas do coração nas pessoas que tomam café. Os ataques cardíacos foram mais comuns entre abstêmios de cafeína, segundo pesquisa realizada entre os finlandeses, que registram uma das mais altas taxas de consumo de café per capita do mundo.

No Brasil, diversos estudos coincidem em classificar o café filtrado como aditivo cardíaco natural. As suspeitas negativas estão no café preparado sem filtro, como o café turco. Ele pode ser rico em colesterol total e na parte do LDL, prejudicial às funções cardíacas.

Café e asma

A revisão da literatura médica mostra que consumidores regulares de café apresentam uma chance 30% menor de desenvolver sintomas de asma. Em longo prazo, não só os sintomas, mas também as ocorrências da doença decaem.

Café e gravidez

Embora o café atravesse a barreira placentária, os pesquisadores não detectaram maior risco de má-formação fetal associado ao consumo da bebida. O cuidado com o bebê está na quantidade, já que a cafeína é um estimulante natural. Sabe-se, através de grávidas que abusaram de outras substâncias que também estimulam o organismo, que crianças podem ter sintomas de abstinência logo ao nascer.

Café vicia?

O estudo do governo americano considerado referência descarta que o café cause dependência da mesma forma que drogas como cigarro, álcool ou cocaína. Não se vê clínicas e tampouco grupos de apoio a dependentes de cafeína.

O mau uso do café

A disponibilidade de café nas empresas nem sempre é um benefício aos empregados, mas sim uma estratégia produtiva. Desde a Revolução Industrial, no século 19, as empresas estimulam o consumo de cafeína para aumentar a produção, já que os operários permanecem mais tempo despertos.

Driblar o ciclo circadiano, que regula o dormir e despertar, é potencialmente perigoso à pessoa que o faz e aos outros. Dormir menos que o necessário é potencial indutor de estresse, estados ansiosos e depressão. Para quem atua com máquinas que implicam em algum perigo, a mente desperta pela cafeína não elimina os riscos de acidentes, já que os reflexos físicos, visuais inclusive, obedecem aos limites orgânicos, que o café não consegue contornar. Entre os riscos mais comuns do desrespeito aos limites do corpo estão acidentes de trânsito e de trabalho.


Apesar de manter a mente desperta, o café não conserva os reflexos físicos e visuais de quem dormiu pouco

Pessoas que dependem de horários de sono controlados, como por exemplo, quem altera estados de ansiedade com momentos de depressão, luto e pessoas que se recuperam de doenças físicas, também devem tomar cuidado com o café. Nos hospitais, por exemplo, a cafeína não é servida à noite aos internados.

Somos a terra do café

Quem pede um expresso na esquina pode não saber, mas está diante de um dos grãos mais complexos do mundo, personagem de guerras, crises econômicas, revoluções industriais, tráfico de escravos, intrigas palacianas. A industrialização brasileira se deu em função do café: é na rota da cafeicultura que se concentram os principais portos, ferrovias, estradas e aeroportos. Antes de ser o país do futebol, o Brasil primeiramente foi conhecido internacionalmente como terra do café.

Em ciência, as conclusões são temporárias, não verdades absolutas. Alimentos como o ovo e a carne vermelha já estiveram como vilões da saúde e agora são defendidos por alguns especialistas em alimentação. Por hora, o café está nos mocinhos.

Fotos: Shutterstock


Recomendados
Bebidas

Como tomar café com consciência

Isabela Raposeiras fala sobre os benefícios de ...

Bebidas

Os benefícios de tomar uma taça de vinho por dia

Redução do colesterol, prevenção de doenças car...