fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU
HOME » Alimentação » Funcionais » Gerais

Funcionais

A outra face dos alimentos industrializados

Saiba por que  não devemos nos render a praticidade dos alimentos industrializados, mesmo forçados pela correria do dia a dia
Da redação
16/11/19

É comum comprar um produto pela sua marca ou então pelo preço sem pensar se são alimentos industrializados ou não. Normalmente, quando estamos com pressa, não paramos para pensar se aquele alimento de fato é fonte de saúde para o nosso organismo.

Dessa forma, a correria do dia a dia faz com que a geladeira fique repleta de alimentos industrializados práticos e de rápida ingestão, como hambúrgueres e salsichas, por exemplo. Porém, ser o mais prático não é, necessariamente, ser o melhor. Conheça, então, a outra face dos alimentos industrializados nesse artigo.

Riscos dos alimentos industrializados

A escolha da alimentação reflete diretamente no corpo. Se você ingere muito açúcar, por exemplo, tem a chance de obter doenças como a diabetes. Já se consome muito sódio, seu organismo estará propenso a problemas como hipertensão.

Sem dúvida, o grande fluxo de informações nos meios de comunicação e internet têm auxiliado na promoção de uma vida mais saudável. E isso tem levantado a preocupação da população em relação a qualidade dos alimentos, sobretudo dos alimentos industrializados.

Mas, mesmo assim, é grande o número de pessoas que, mesmo interessadas pelo tema, não sabem o que realmente comem.

De acordo com o nutricionista Fabrício Gomes, saber triar essas informações é importante na hora da compra. “Ler os rótulos é um dos principais fatores relacionados com escolhas assertivas, pois é a forma que temos de conhecer a composição nutricional dos produtos comercializados”, declara.

alimentos industrializados

Componentes dos alimentos industrializados para evitar:

Corantes

Apesar de terem o sabor e a coloração característicos, os sucos artificiais não possuem grande nível da fruta. Corantes como amarelo crepúsculo, tartrazina e vermelho ponceau estão entre os principais utilizados não só em bebidas, mas em diversos alimentos industrializados.

Substâncias como essas, se ingeridas em excesso, podem gerar alergias respiratórias, dores de cabeça e náuseas. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), esses corantes também podem provocar hiperatividade em crianças, se associados ao benzoato de sódio.

Ao invés de ingerir com frequência bebidas industrializadas, opte pelos sucos naturais, pois são mais saudáveis e têm propriedades funcionais que farão bem ao seu organismo. Tomar um copo de suco de laranja antes de exercícios físicos fornece energia, além de auxiliar na absorção de ferro.

Gorduras trans

Um dos alimentos industrializados muito escolhido pela sua praticidade e que faz parte da alimentação cotidiana, é a bolacha recheada. Com níveis consideráveis de gorduras trans, o seu consumo exagerado pode elevar o LDL, mais conhecido como colesterol ruim.

O aumento do colesterol pode causar males como infarto e acidentes vasculares. Você pode não excluir do cardápio, apesar de ser o aconselhável, mas é importante ficar atento a quantidade que ingere.

De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Taco), uma unidade de bolacha recheada sabor chocolate possui 0,37 gramas de gordura saturada. Número que aparenta ser insignificante, porém esse valor não corresponde ao pacote completo.

Quando estiver com fome, opte por barrinhas naturais, sementes ou frutas, além de saborosas, elas oferecem nutrientes essenciais para manter a saúde.

6 alimentos industrializados considerados perigosos

Em parceria exclusiva com o Namu, o nutricionista Fabrício Gomes lista alguns alimentos industrializados encontrados frequentemente em nossas casas. Ele também esclarece o que o consumo constante pode causar, além de ações para substituí-los.

1. Margarina

O procedimento para se obter a gordura hidrogenada é através da conversão da gordura cis para gordura trans, mediante adição de moléculas de hidrogênio à estrutura química da margarina. Essa é a pior gordura que pode ser consumida, já que a sua constante ingestão aumenta a concentração sanguínea do colesterol ruim.

Embora faça parte da lista de alimentos industrializados, a manteiga de origem animal é menos prejudicial à saúde. Por esse motivo, torna-se uma boa opção em substituição da margarina, já que possui diversos ácidos em sua composição encontrados na natureza.

Além disso, mesmo que a manteiga seja rica em ácidos graxos saturados, o consumo de gordura hidrogenada ou trans ainda é pior, se ambas forem comparadas. Margarinas com fitosteróis também são uma boa opção, pois contribuem com a redução de colesterol.

2. Ketchup

O sódio é o principal aditivo do ketchup, tornando-se impróprio para o consumo de pessoas que tenham problemas de pressão. O ketchup também possui o glutamato monossódico, responsável por realçar o sabor em diversos produtos. Ele confere aos alimentos o que chamamos de sabor umami, quinto gosto básico além do doce, salgado, azedo e amargo.

Os efeitos nocivos à saúde não são bem definidos. Porém, por ser considerado um gosto agradável, pode induzir as pessoas a consumirem quantidades maiores. Sua ingestão diária deve ser de 0,5g a 1,5g, mas a média diária está entre 10g e 20g.

A melhor substituição do ketchup é o molho de tomate caseiro com azeite. Isso porque o tomate possui o licopeno, que é um carotenoide antioxidante, o qual ajuda prevenir doenças crônicas e cardiovasculares.

https://namu.com.br/categoria/alimentacao/?utm_source=blog&utm_medium=rodape&utm_campaign=artigo-alimentos-industrializados

3. Temperos prontos

Os temperos prontos também estão entre os alimentos industrializados que tendem a apresentar alto teor de sódio em sua composição. Além disso, podem ser submetidos a técnicas industriais que reduzem seu teor de nutrientes.

A melhor substituição é por alimentos frescos, os quais podem ser convertidos em temperos naturais e livres de conservantes.

Alecrim, orégano, tomilho, açafrão, cebola, alho, salsa, salsinha, cebolinha e alho-poró fornecem diversos benefícios a saúde. Eles agem como anti-inflamatórios, antibacterianos, antifúngicos, antiespasmódicos, além de contribuírem com redução do mau colesterol, no controle do diabetes mellitus e no combate a outras doenças crônicas não transmissíveis.

4. Refeições prontas

A única coisa boa desses alimentos industrializados é a praticidade. Fora isso, possuem alta concentração de sódio em sua composição. É importante frisar que o sódio também atua como conservante, por isso é tão utilizado pela indústria alimentícia.

Geralmente, essas refeições prontas são feitas com embutidos, os quais possuem substâncias como nitritos e nitratos, responsáveis pela conservação e intensificação do sabor e coloração. Porém, possuem potencial cancerígeno, se ingeridos em excesso, e devem ser evitados.

Uma excelente opção para utilizar na lasanha e na pizza caseira são os brócolis, queijo branco, minas frescal, mix de temperos naturais e molho de tomate caseiro.

5. Açúcar refinado

O açúcar refinado é um dos alimentos industrializados mais perigosos que existe. Além de não possuir nutrientes, é absorvido rapidamente pelo organismo, o que acarreta em pico de hiperglicemia e hiperinsulinemia, aumento excessivo de glicose e insulina no sangue.

Isso pode gerar, inclusive, problemas como obesidade e diabetes melittus. Sua substituição pode ser feita por açúcar mascavo, demerara e de coco, os quais são ricos em vitaminas e sais minerais e têm um baixo índice glicêmico.

Outra boa substituição a ser feita é por adoçantes dietéticos. Porém, caso a pessoa não se adapte ao seu uso, uma boa indicação são os adoçantes à base exclusiva de sucralose, que é um composto derivado do açúcar e que auxilia nessa adaptação.

6. Pão francês

É fonte de carboidrato refinado (açúcar refinado) e é absorvido rapidamente pelo organismo. Por causa disso, a tendência é que a pessoa não consiga ficar sequer três horas sem comer, o que aumenta sua ingestão diária de calorias. Isso contribui para o depósito de gordura corporal e, consequentemente, ganho de peso.

A melhor substituição a ser feita é pelos pães integrais, que são fontes de fibras alimentares, com baixo índice glicêmico e que auxiliam na manutenção de um peso saudável e funcionamento do intestino.

Entretanto, deve-se saber escolher o pão integral. Ler o rótulo do produto é de suma importância. E quanto mais fibras houver na composição do alimento, melhor.

Agora que você já conhece os riscos dos alimentos industrializados, que tal aprender a preparar suas próprias refeições de maneira prática, natural e saborosa? Inscreva-se então, em um dos cursos de alimentação saudável do Namu.


Recomendados
Funcionais

Barra de cereal: consuma com saúde

O alto nível de açúcar e sódio encontrado em al...

Funcionais

Alimentos fermentados: o que são e como fazer em casa

De acordo com a chef Silvia Corbucci, alimentos...

Funcionais

Caqui: benefícios e como acrescentá-lo em seu cardápio

Preferido no paladar dos brasileiros, o caqui t...

Funcionais

Abacate: a fruta que é fonte de saúde e beleza

Nutritivo e rico em vitaminas, o abacate pode s...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *