fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU
HOME » Corpo e Mente » Meditação » Mindfulness

Meditação

Como o mindful eating pode te ajudar a identificar os tipos de fome

Entenda como as práticas do mindful eating podem ajudar a identificar e reagir aos 9 tipos de fome. Assista a entrevista com a nutricionista Luiza Camargo.
Da redação
28/09/19

De acordo com o mindful eating, existem 9 tipos de fome diferentes. Quem nunca teve fome ao sentir um cheiro gostoso ou ao olhar para aquele prato cheio de alimentos apetitosos

O ser humano é muito instintivo e acaba por fazer opções baseadas no que vê, sente ou toca, e isso também acontece com a fome. 

“A gente tem 9 tipos de fome, que são a fome do olho, da boca, do nariz, do tato, do ouvido, do estômago, das células, da mente e do coração”, declara a nutricionista Luiza Camargo. Veja a entrevista:

https://www.youtube.com/watch?v=mbwNPKgIfZs

Muitas vezes as pessoas não sabem como discernir entre os diferentes tipos de fome e, por isso, acabam por negligenciar o que realmente o corpo precisa. 

Neste sentido, o mindful eating propõe um consumo consciente, por meio de práticas de meditação mindfulness, resultando gradualmente em uma alimentação saudável.

Mindful eating e os 9 tipos de fome

Segundo o mindful eating, a sensação de fome pode estar ligada a saciedade dos cinco sentidos, o que evidencia a importância de os alimentos serem atraentes, além de nutritivos. 

Além disso, questões emocionais tendem a influenciar o nosso comportamento durante as refeições. Por isso, a compreensão dos tipos de fome pode auxiliar na alimentação consciente e tratamento de sintomas de compulsão alimentar.

Conheça abaixo os 9 tipos de fome:

1. Fome dos olhos

A fome dos olhos é aquela estimulada pela visão, é olhar para aquele prato bonito e pensar: “nossa, deve estar muito bom”. 

Na hora de comer, as formas, cores, texturas e até a composição dos alimentos no prato podem influenciar o nosso comportamento diante dele. Ao nutrir os olhos, além de colocar a atenção no momento presente, a experiência de comer é enriquecida.

2. Fome da boca

A fome da boca é aquela em que precisamos sentir o alimento, sua textura, seu tempero. É nesse momento que o sabor dos alimentos se sobressai e os gostos trazem prazer.

A mastigação favorece a saciedade, ao mesmo tempo em que proporciona um momento para cultivar a curiosidade em torno das sensações produzidas na boca.

3. Fome do nariz

Provavelmente você já ouviu alguém falar que não gosta de determinado alimento porque o cheiro não é muito agradável. A fome do nariz é assim, é sentir a comida pelo cheiro, é isso que irá te conquistar ou desagradar.

A percepção do aroma faz parte do mindful eating e também é essencial para que a gente possa sentir o gosto dos alimentos. Não é à toa que quando pegamos uma gripe temos a sensação de que o sabor da comida desaparece.

4. Fome do tato

A fome do tato é ter que tocar no alimento para senti-lo. Um exemplo é a dúvida ao comer um pedaço de pizza, já que comer com garfo e faca é diferente de comer segurando os pedaços com as mãos. 

Ao sentir a temperatura e a textura do alimento, as sensações provocadas podem até influenciar na saciedade.

o que é mindful eating

5. Fome do ouvido

A fome do ouvido é aquela que é instigada principalmente pelo som dos alimentos ao mastigá-los. O barulho que eles fazem na boca, devido à crocância, pode funcionar como uma motivação para a alimentação.

6. Fome do estômago

A fome do estômago é quando você consegue escutar o ruído que o órgão faz. Apesar de ser uma das principais formas de reconhecermos a fome, não se engane, nem sempre o que você está sentindo pode vir do estômago. 

É preciso estar atento para discernir se é mesmo fome, já que problemas como a ansiedade podem gerar sintomas parecidos no corpo.

7. Fome celular

A fome das células é quando o nosso corpo sabe que precisamos de determinados nutrientes, já que ele começa a apresentar alguns sintomas de deficiência. Podemos sentir alta irritabilidade, cansaço ou até outros sintomas, como dores de cabeça.

Trata-se de uma das fomes mais difíceis de perceber, que exige conexão com o corpo e consciência das nossas necessidades celulares.

8. Fome da mente

A fome da mente é quando os pensamentos dominam nossa fome. Você não está com fome, mas a ansiedade faz com que coma tudo o que quiser. 

Esse tipo de fome motivada pelas emoções e sentimentos é bastante comum. Diante dela, é preciso tranquilizar a mente e trazer mais consciência para o momento da alimentação.

9. Fome do coração

Por fim, a fome do coração é aquela emocional, relacionada a laços efetivos. Muitas vezes sentimos vontade de comer certos alimentos porque nossa mente está acostumada a buscá-los quando precisamos nos sentir melhor. Através da comida, é possível descontar desejos de ser acolhido, reconhecido ou amado.

O que é mindful eating e como pode ajudar?

Para entender o conceito de mindful eating, primeiro é necessário compreender o que é mindfulness

Segundo uma definição básica, é a consciência que surge através da atenção plena e de propósito, focada totalmente no momento presente e livre de julgamentos.

“O mindful eating vai trazer consciência para esses tipos de fome. Com as práticas, você vai experimentando e vivenciando. Isso vai trazendo a luz de perceber como lidar e agir em cada uma delas”, explica a nutricionista Luiza Camargo.

Por meio das práticas meditativas, a percepção dos tipos de fome se torna mais intuitiva, facilitando a auto regulação da alimentação.

O mindful eating não se trata de meditação para emagrecer, seguir a dieta simplesmente, ou de técnicas de autocontrole. As experiências do mindful eating têm o objetivo de ajudar a comer consciente, tornando a auto regulação um processo natural e prazeroso, ao aumentar a percepção dos sinais corporais. 

Algumas dicas para começar o mindful eating são:

  • Manter a atenção voltada totalmente para o momento da alimentação;
  • Tentar perceber todas as qualidades do prato com os cinco sentidos;
  • Mastigar com atenção nas sensações de saciedade;
  • Respeitar e confiar nas próprias vontades, escutando o próprio corpo;
  • Atentar-se à qualidade, quantidade e horários adequados das refeições.

Neste sentido, a prática constante de mindful eating ajuda a expandir a consciência do que você come e o motivo pelo qual come. O importante é não apenas controlar o cardápio, mas principalmente conquistar uma alimentação saudável e mais equilibrada.

Quer aprender mais sobre mindfulness de uma forma geral? Confira o curso online de meditação Mindfulness: meditação em movimento, da professora e especialista Dra. Tamara Russel.


Recomendados
Gerais

Saulo Fong: benefícios da meditação

Uma explicação clara dos benefícios da meditaçã...

Cristã

Meditação cristã: como surgiu e como praticar

Meditar sobre a vida de Jesus é um fio que liga...

Gerais

Músicas para meditar: Os benefícios da música na meditação

Os sons podem agitar ou relaxar o organismo, tu...

Meditação

Haicai: a poesia do momento presente

Poemas curtos com três versos exprimem a essênc...

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *