fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Estética » Corpo e Pele » Depilação

Depilação

Depilação: riscos e cuidados com a pele

Apesar dos preços cada vez mais acessíveis, técnicas de depilação como laser e luz intensa pulsada podem oferecer riscos
Da redação
18/01/20

Provavelmente você conhece os benefícios da depilação para a estética. Mas já se perguntou quais são os impactos para sua saúde?

Os pelos são muito importantes para a proteção corporal do ser humano. Além de ajudarem a regular a temperatura, servem como uma barreira para evitar a entrada de micro-organismos e bactérias.

Depilar o corpo pode deixar algumas regiões importantes mais sensíveis e vulneráveis. Os tipos mais comuns de depilação, como a lâmina de barbear e a cera, podem causar dermatites, foliculites, infecções, manchas, feridas e alergias, enquanto os cremes depilatórios podem desencadear eczemas.

Neste artigo, vamos entender um pouco mais sobre o que a depilação representa para a saúde, os tipos existentes, riscos e cuidados para a pele não ficar somente bonita, mas também saudável.

depilação a laiser

O que é depilação?

Depilação é a retirada, provisória ou definitiva, dos pelos do corpo. Esse procedimento pode ser feito por motivos de vaidade, higiene ou conforto.

Diversos métodos de remoção dos pelos estão disponíveis hoje no mercado de beleza, mas antes de realizar o procedimento é preciso levar em consideração os diferentes tipos de pele, quantidade de pelos e nível de sensibilidade.

Além disso, antes da depilação, é essencial tomar alguns cuidados com a pele. São eles: fazer leve esfoliação e mantê-la hidratada.

Esses cuidados facilitam a remoção dos pelos e reduzem os danos causados pelos procedimentos depilatórios.

Os principais métodos de depilação são:

  1. Depilação por lâmina

Prático, rápido e acessível, retira somente a parte superficial dos pelos e por isso eles voltam a crescer entre dois e três dias após o corte. Não causa dor, mas pode gerar alergias e irritações.

  1. Depilação com creme depilatório

Indolor e de fácil aplicação, quando espalhado sobre a pele, o creme destrói a queratina dos pelos que podem ser retirados depois de alguns minutos com uma esponja ou espátula.

  1. Depilação com cera quente

É bastante eficiente para remoção precisa dos pelos. A temperatura da cera, que pode variar entre 38 e 40 °C, ajuda a abrir os poros, facilita a extração dos pelos e provoca menos dor. Esse método deve ser evitado por quem possui vasos dilatados.

  1. Fotodepilação e depilação a laser

Os métodos mais comuns desse tipo são o de luz intensa pulsada e depilação a laser.

O primeiro consiste na aplicação de um feixe concentrado de luz na área a ser depilada. O calor da aplicação se concentra no bulbo, o que faz o pelo cair depois de alguns dias. É mais eficiente para pessoas com pele clara e pelos finos.

A legislação brasileira permite as aplicações sejam feitas em clínicas franqueadas com a supervisão de um médico dermatologista.

Pessoas com tatuagens, câncer, problemas cutâneos, gestantes e outros grupos de riscos devem evitar o tratamento.

Já a depilação a laser pode eliminar até 80% dos pelos definitivamente, mas é preciso realizar entre 8 a 10 sessões com, no mínimo, 15 dias de intervalo.

É um procedimento caro, doloroso e que não deve ser feito em peles de tons escuros. A exposição à luz solar também deve ser evitada durante o tratamento. Ao contrário da luz intensa pulsada, o procedimento de aplicação só pode ser feito por médicos dermatologistas.

Riscos da depilação com cera e cremes depilatórios

Os métodos mais utilizados por serem práticos e baratos são a cera e os cremes depilatórios. Porém, o barato pode ficar caro.

A cera quente pode queimar a pele, causar foliculite, manchas escuras e inflamações. Já a cera morna é menos agressiva, pois dilata os poros e facilita a retirada dos pelos.

“Procure utilizar ceras a base de mel. Elas não possuem coloração e evitam o risco de manchas. Nunca reutilize a cera, pois há risco de transmissão de doenças, como a hepatite C”, alerta Rafaela Ferreira da Silva, esteticista e proprietária da Ella Studio Estética Corporal e Facial.

A dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Tatiana Di Perrelli alerta: “a temperatura de derretimento da cera não mata agentes patológicos. Pode haver reação alérgica ou o surgimento de foliculites mesmo se você reutilizar sua própria cera”, ressalta.

como fazer depilação

Riscos da depilação por lâmina

Depilações com lâminas são práticas, rápidas e baratas. Contudo, não são indicadas já que durante a raspagem o pelo é arrancado agressivamente, o que pode causar encravamento, inflamação, desconforto, feridas, manchas e alergias.

De acordo com Silva, caso a pessoa opte pela depilação com lâminas, é aconselhável que a pele espere 28 dias até uma nova sessão, pois esse é o tempo necessário para que a pele removida na depilação se recomponha.

É comum o aparecimento de vermelhidão e coceira após a depilação.

Riscos da fotodepilação

A depilação com laser ou luz intensa pulsada são os tratamentos mais indicados pelos especialistas, pois reduzem e afinam os pelos.

No entanto, ambas as técnicas não têm a mesma eficácia em pelos claros, pois o procedimento utiliza a melanina do pelo para potencializar a energia até o bulbo e propiciar sua queda.

“O tratamento, contudo, pode gerar manchas temporárias e cicatrizes em alguns casos” afirma Rafaela.

Para Di Perrelli, não há problema em ficar sem pelos em determinadas áreas do corpo, como as pernas e a região externa da virilha.

“O que não se aconselha é a retirada total dos pelos púbicos, pois eles servem de proteção e barreira contra micro-organismos na região vulvar e perianal”, explica a médica.

Apesar de noticiadas como definitivas, as depilações por luz intensa pulsada e laser necessitam de manutenções ocasionais, uma vez que o pelo continuará a nascer, mas em intervalos mais longos.

“Alguns estudos apontam que há lasers que podem atingir camadas mais profundas da pele e pontos delicados do corpo, o que gera um fator negativo em lasers mais agressivos”, explica Hendyl Mumme Araújo do Nascimento, esteticista facial, corporal e depiladora da clinica Bela Pele Estética.

 

Risco de depilação com aparelhos elétricos

Essas técnicas removem os pelos sem afetar a pele, o que pode diminuir bastante o risco de alergias ou irritações.

“Em algumas pessoas pode haver o aparecimento de falhas após algumas sessões. Os métodos não são indicados para pelos grossos”, comenta Nascimento.

Precauções na depilação

É comum que as áreas depiladas fiquem sensíveis após as sessões de retirada dos pelos.

Por isso, deve-se evitar expor essas partes do corpo à água do mar ou da piscina por pelo menos 36 horas.

Uma dica para evitar alergias e descamações é esfoliar a pele uma vez por semana. Além disso, é essencial hidratá-la diariamente com produtos adequados ao tipo de pele.

Intervalo entre sessões

O tempo ideal varia de acordo com o método de depilação, idade e situação hormonal. Nas ceras, cremes depilatórios, pinças, aparelhos de depilação e linha, eles geralmente ocorrem a cada 15 a 21 dias.

Para luz pulsada e lasers, a cada 30 a 45 dias na fase inicial,e em fase de manutenção, a cada 6 a 12 meses. Com as lâminas a volta é mais rápida: 2 ou 3 dias, pois elas não removem o pelo, apenas o aparam no limite da epiderme.

Curso de cosméticos naturais

Agora que você sabe os riscos e precauções que deve tomar na hora da depilação, que tal aprender também a cuidar da pele de um jeito saudável e criativo em todos os momentos?

Conheça agora mesmo nosso curso online de cosméticos naturais e veganos: produtos para a pele. Você adquire agora e aprende a fazer seus próprios cosméticos onde e quando quiser.


Recomendados
Estética

Produtos naturais para cuidar da sua pele

Produtos de cuidados pessoais naturais cuidam d...

Gerais

Ginástica facial: benefícios e porque fazê-la

Que tal suavizar linhas de expressão e rugas se...