fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU
HOME » Estética » Corpo e Pele » Proteção Solar

Estética

Dicas de cuidados com a pele no verão

Aprenda a tratar males como o bicho do pé e mantenha a sua pele bonita e saudável na estação mais quente do ano
Portal Namu
27/09/19

A felicidade e animação de passar o verão na praia tomando sol e se divertindo, muitas vezes, pode se tornar um grande incômodo e perigo para a pele. É comum chegar ao fim de um dia na piscina e notar queimaduras, ressecamentos ou excesso de oleosidade. Pensando nisso, alguns especialistas indicam quais dicas devemos seguir para não colocar a saúde da nossa pele em risco.

Bicho geográfico

O bicho geográfico é causado pela larva migrans (ancylostoma braziliensis), encontrada nas fezes de cães e gatos em praias, construções, clubes e ambientes úmidos. No calor, ela pode esperar dias até penetrar na pele, ocasionando vermelhidão e coceira, que podem gerar infecções secundárias.

“Para evitar a contaminação, é necessário usar chinelos e não deitar na areia sem toalhas, além de frequentar praias que não permitam a entrada de cachorros”, indica Denise Steiner, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Caso contrário, lave os pés com água doce.

Se você tiver um pet, mantenha a área de circulação do animal limpa. “Higiene é a melhor prevenção. Se o animal estiver doente, isole-o dos demais até finalizar o tratamento com um médico veterinário. Observe as patas procurando por parasitas”, indica Caio Rosa Humaire, médico especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e pelo Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo.

Em alguns casos, a doença pode “se resolver espontaneamente em duas semanas”, de acordo com a médica dermatologista Daniela Landim. “Há opções de tratamento como neve carbônica e gelo local, que matam o parasita por isquemia (congelamento)”, comenta.

menina deitada na praia tomando sol

Bicho do pé

O bicho de pé é causado pelo tunga penetrans, pulga que habita lugares secos, arenosos e zonas rurais. Para evitar o contágio, é necessário usar calçados como botas.

O tratamento do bicho do pé deve ser sempre feito com acompanhamento de um profissional da área de saúde.

Nesses casos, indica Denise Steiner, “evite tratamentos caseiros, como gelo, banhos e objetos quentes”.

O bicho de pé, em geral, é retirado pelo médico de forma cirúrgica, utilizando pinças ou agulhas.

Após a confirmação da doença, jamais retire o animal da pele sozinho. “Todos os materiais devem ser esterilizados e o processo deve ser realizado somente por profissionais capacitados. A retirada da pulga acontece sem dor e sangramento. Assim que a pulga for retirada de dentro da pele, o problema é resolvido”, explica o médico Caio Rosa Humaire.

Identifique problemas graves na pele

Os raios ultravioletas atingem a pele de maneira cada vez mais agressiva, provocando vermelhidão, queimaduras, envelhecimento precoce e cânceres. “Os mais frequentes são: carcinomas basocelulares e os epidermóides. O mais alarmante é o melanoma, que pode levar à morte sem um diagnóstico ou tratamento precoce e adequado”, explica Humaire.

Geralmente, os problemas mais graves são acompanhados de infecção, manchas e queimaduras em graus variados. Feridas que nunca cicatrizam e estão sempre vermelhas, ásperas, com crostas ou umidade. Portanto, precisam de atenção e cuidados médicos. Essas lesões também podem ser um câncer de pele. Queimaduras solares com formação de bolhas na infância duplicam o risco de melanomas malignos na vida adulta.

Pintas precisam da mesma atenção. As pretas, planas, assimétricas, de várias cores (marrom, azulado, preto, cinza) e com bordas irregulares podem ser melanomas. Qualquer pinta na pele que tenha alterações na regra do chamado “ABCD” deve ser avaliada por um dermatologista. A regra ‘ABCD’ é aplicada, especialmente, a pintas (nevos) e significa alterações como: assimetria, bordas irregulares, variações na cor e diâmetro maiores que 6 mm.

“Pessoas com várias pintas no corpo devem evitar a exposição solar inadequada sem fotoproteção e utilizar sempre óculos escuros, chapéus de abas largas, filtro solar, além de roupas que protejam a pele”, comenta Paulo Ricardo Criado, dermatologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

As manchas de micose também são corriqueiras. Por isso, leve sempre uma toalha ou canga para a praia e seque-se bem, impedindo a umidade do corpo após um banho de mar. “A manipulação de frutas cítricas e produtos clareadores durante a exposição solar não é recomendada”, afirma Daniela Landim.

Cuidados com as sardas e com os lábios também são fundamentais.“Em pessoas suscetíveis à exposição solar pode-se desencadear quadros de herpes simples, principalmente labial”, afirma Alexandre Okubo, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Polêmica com o sol forte

Os melasmas são comuns no verão e afetam, principalmente, as mulheres, causando manchas no rosto. Use filtro solar com fator de proteção de, pelo menos, 30. Espalhe bem o produto por todo o corpo. Reaplique o filtro, a cada 2 a 3 horas, e não se esqueça das orelhas, do dorso das mãos e do peito dos pés, áreas comumente pouco lembradas. “ Aplique como se você tivesse usando uma colher de sopa de filtro para cada perna e uma colher de sobremesa para cada braço”, comenta Denise.

mulher dentro de uma piscina apoiada na borda, sorrindo e segurando os óculos

A orientação dos dermatologistas é de que as pessoas não se exponham ao sol entre às 10h e às 15h, quando os raios ultravioletas estão mais fortes. No entanto, há quem conteste essa orientação, porque este também é o horário mais adequado para a produção de vitamina D em nosso organismo por meio da exposição solar.

Para a endocrinologista Haládia Simião, as recomendações dos dermatologistas são equivocadas. “Não devemos nos esconder do sol no verão. Pelo contrário, devemos aproveitar para expor a maior parte do nosso corpo, como pernas e braços, sem protetor solar, por pelo menos 15 minutos, três ou quatro dias por semana, para produzirmos um hormônio fundamental que regula o funcionamento de todas as células do nosso corpo, que é a vitamina D”, afirma.

Segundo ela, a deficiência de vitamina D aumenta o risco de desenvolvermos doenças graves como osteoporose, doenças autoimunes, e ainda aumenta a suscetibilidade a alguns tipos de câncer como o de mama, próstata e intestino. A vitamina D é na realidade um hormônio e não é encontrada em quantidades suficientes nos alimentos. “Por isso, a melhor forma de mantermos níveis adequados deste hormônio é por meio da exposição solar moderada. Após os 15 minutos, podemos passar o protetor”, conclui Simião.

Não cutuque cravos e espinhas

A pele costuma ficar mais oleosa em períodos quentes, pois o sol estimula as glândulas sebáceas que deixam o rosto com um aspecto brilhoso e desagradável. Essa oleosidade funciona como uma proteção e hidratação naturais. Mas tal característica pode gerar cravos e espinhas indesejadas e mudanças na pigmentação da derme.

Não use cremes oleosos e lave o rosto duas vezes ao dia, com sabonetes para peles oleosas. Em casa, a remoção das impurezas faciais exige muitos cuidados. Uma “cutucada” mais forte pode ocasionar infecções, cicatrizes e manchas. O ideal é retirar apenas cravos superficiais.

Lave o rosto com água morna, no chuveiro, para o vapor abrir os poros. Depois, molhe um algodão ou gaze com água aquecida e deixe repousar por um tempo sobre o cravo. Cubra os dedos com o algodão e aperte o cravo, fazendo pressão para baixo. Se estiver difícil de sair, não insista e procure um esteticista para uma limpeza de pele profissional. O esfoliante só é efetivo para cravos, ou seja, não deve ser utilizado em espinhas. Peles oleosas podem ser limpas com adstringente. Outra dica importante para evitar alta oleosidade é: nunca durma sem remover a maquiagem.

Receitas naturais para a pele

“Rodelas de pepino servem para as olheiras. Mel e água de coco são hidratantes que podem ser misturados com mamão e juntos compõem uma máscara hidratante. Fubá e mel são esfoliantes”, indica a médica Daniela Landim.

A mistura de aveia com leite ou iogurte é outra ótima opção. “Aplique no rosto e massageie com movimentos circulares suaves. Retire com água morna. Para irritações no rosto, utilize compressas com chá de camomila gelado”, afirma Alexandre Okubo.

Fotos: Thinkstockphotos; Nina Vieira


Veja também:
Aprenda a fazer máscara facial de morango com iogurte
Receitas de pasta de dente, desodorante e shampoo naturais
Como lavar cabelos sem shampoo
Dicas para manter a pele jovem


Recomendados
Corpo e Pele

Bronzeamento artificial: conheça os riscos

Querendo fazer bronzeamento artificial? Melhor ...

Estética

Tratamento estético: Você conhece a eletrotermoterapia?

A eletrotermoterapia é um tratamento estético q...

Estética

Vale a pena parar de menstruar?

Livrar-se de cólicas e da TPM é um alívio, mas ...

Estética

Vitaminas são aliadas da proteção solar

Cosméticos com as propriedades de alimentos pod...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *