fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU

O que é

Budismo é, ao mesmo tempo, uma filosofia e uma religião. Sua origem estão nos ensinamentos de Buda Shakyamuni, o “Buda histórico” (termo que o diferencia de outros budas míticos), que viveu entre os séculos V e IV a.C.. A base de todas as linhagens budistas remonta aos ensinamentos originais de Buda, que se iniciam em seu primeiro discurso, após a iluminação, quando expõe as quatro nobres verdades. Na quarta nobre verdade, Buda apresenta o que seria a base prática de seus ensinamentos e o caminho que conduz à iluminação, uma sistematização em oito vias, conhecida como caminho óctuplo, em que se desenvolvem:
Visão correta: a compreensão profunda e precisa da realidade como ela é e das quatro nobres verdades.
Intenção correta: a intenção livre de apego, raiva e agressividade, pautada pela sabedoria e compaixão.
Fala correta: envolve não proferir impropérios, difamar, falar de forma rude, mas de forma honesta, harmoniosa, reconfortante e significativa.
Ação correta: aquela que envolve não mentir, não matar, não roubar e um variado conjunto de códigos de conduta, de acordo com as tradições budistas.
Meio de vida correto: aquele que não prejudica, não fere ou agride os outros, considerando o trabalho como uma forma de beneficiar todos os seres.
Esforço correto: a disciplina de manter a quietude e a atenção da mente, de maneira a abandonar e evitar estados mentais maléficos e cultivar e desenvolver estados mentais benéficos.
Atenção correta: a manutenção de uma atenção constante sobre os estados mentais e corporais e sobre as ações realizadas, de maneira que não se perca de vista a verdadeira natureza de todos os fenômenos.
Concentração correta: a prática da meditação, a partir da qual, com a mente estabilizada e concentrada, pode-se manifestar a sabedoria que leva à extinção do sofrimento.
Esse caminho óctuplo contém os três pilares da prática budista, a ética, a concentração e a sabedoria. A partir desses três eixos e sempre em respeito aos ensinamentos originais de Buda, várias tradições se desenvolveram, com diferentes abordagens quanto aos respectivos códigos de conduta, métodos de meditação e desenvolvimento da sabedoria.
Em todas as linhagens, a prática está fundamentada nas chamadas três joias: o Buda (tanto o histórico, que ensinou o caminho para a Iluminação, quanto a mente de Buda, presente em todos os seres); o “dharma” (tanto os ensinamentos de Buda quanto a verdadeira natureza de todas as coisas); e a “sangha” (tanto a comunidade em que se pratica o budismo, quanto os praticantes de todos os lugares, do passado e do futuro). Essas três joias também são conhecidas como “três tesouros” ou “três refúgios” e são consideradas a base da vida espiritual budista.

Participe da discussão

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *