fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Saúde » Gerais »

Saúde

Vitamina D: o que você precisa saber sobre a substância

Algumas vitaminas essenciais para o bom funcionamento do organismo não são produzidas pelo corpo humano. Entre elas, está a vitamina D, saiba como obtê-la
Da redação
14/03/20

Embora tenha denominação de vitamina, na verdade ela é um hormônio. Afinal de contas, a vitamina D pode ser sintetizada pelo organismo e a falta dela pode causar de enfraquecimento ósseo até raquitismo.

Quer saber quais são os benefícios? Então acompanhe o artigo a seguir. Nele, você ficará sabendo tudo sobre a vitamina, o que é e para que serve. Além disso, também saberá o que fazer em casos de deficiência dela no organismo.

O que é vitamina D?

A vitamina D é uma substância solúvel em gordura, mais conhecida como “a vitamina do sol”. Ela possui duas formas, a saber: a vitamina D2 (ergocalciferol – obtida através dos alimentos) e D3, sintetizada em nosso organismo através da exposição ao sol ou através de suplementação.

Para que serve a vitamina D?

A vitamina D age no intestino, aumentando a absorção do cálcio e do fósforo presentes no organismo. Por isso, está diretamente associada à saúde dos ossos.

Além disso, a vitamina também atua em outros processos do corpo humano, como na multiplicação e diferenciação celular.

Ademais, ela também regula o sistema imunológico, a pressão arterial e a atividade metabólica. Ainda, melhora o desempenho físico e favorece o ganho de massa muscular, sendo, por esse motivo, tão importante para praticantes de atividades físicas e atletas profissionais.

benefícios da vitamina d

Vitamina D: benefícios

Conforme pontuamos acima, entre os benefícios da vitamina D estão a saúde dos ossos, o aumento da imunidade e o desempenho físico. Porém, além destes existem ainda outros benefícios, de igual modo importantes para o bom funcionamento do organismo, veja a seguir:

Previne o diabetes 

A vitamina D influencia a produção da substância que previne o diabetes, a renina. Além disso, ela também é essencial para a produção de insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas e que possui a função de metabolizar os carboidratos no sangue.

Combate a depressão 

Estudos apontam que níveis baixos da vitamina D no sangue estão relacionados a depressão. Inclusive, os efeitos terapêuticos da vitamina no organismo minimizam os riscos de suicídio.

Evita vários tipos de câncer 

A vitamina D participa do processo de divisão e diferenciação celular, processo pelo qual uma célula se especializa em realizar uma determinada função no organismo. Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), quando acontecem alterações na estrutura genética das células (mutação), há o surgimento do câncer.

Estudos revelam ainda que a vitamina D atua na atividade de várias células imunológicas e de defesa, prevenindo assim, vários tipos de câncer.

Fortalece os ossos

A vitamina D coopera com a absorção do cálcio pelos ossos, mineral responsável pelo fortalecimento de ossos e dentes. Cabe ressaltar que a deficiência do cálcio no organismo pode causar a osteoporose e o raquitismo.

Mais força muscular

A vitamina fortalece os músculos (incluindo o coração). Portanto, sua deficiência também aumenta a incidência de quedas e fraturas, principalmente na terceira idade.

Gravidez saudável

A vitamina D também garante uma gestação tranquila e saudável. Afinal, no primeiro trimestre, a sua deficiência pode causar aborto. Além disso, ela também atua no desenvolvimento do cérebro do bebê, ativando hormônios importantes para a convivência social, como a ocitocina e a serotonina, reduzindo os riscos do autismo.

E por falar em autismo, assista à entrevista da nutricionista Denise Carreiro, sobre como a alimentação e o ambiente são fatores decisivos para o surgimento de doenças autoimunes e do autismo:

Como obter

Até 20% da quantidade vitamina D que o nosso corpo precisa para funcionar corretamente pode ser obtida através da alimentação. Inclusive, alguns alimentos possuem uma quantidade razoável de vitamina D, sendo importante incluí-los na dieta:

  • Peixes (salmão, atum, sardinhas);
  • Ostras;
  • Bife de fígado;
  • Ovo;
  • Iogurte;
  • Queijos.

Já os outros 80% devem ser adquiridos através da exposição ao sol. Para isso, é necessário ficar entre 15 a 20 minutos por dia exposto aos raios solares, com a menor quantidade de roupa possível. Isso porque quanto mais áreas do corpo forem submetidas ao sol, maior será a síntese. Recomenda-se não passar protetor solar.

Outra forma eficiente de obter a vitamina D é através da suplementação alimentar. Entretanto, é preciso acompanhamento de um clínico geral ou endocrinologista. A suplementação inadequada pode causar efeitos colaterais.

Dose diária necessária

A necessidade diária recomendada, altera-se de acordo com a faixa etária:

  • Recém-nascidos: 10 mcg/dia;
  • De 1 a 70 anos: 15 mcg/dia;
  • Acima 70 anos: 20 mcg/dia;
  • Gestantes e lactantes: 15 mcg/dia.

Sinais de deficiência de vitamina D

A vitamina D é um nutriente importante para o bom funcionamento do organismo. Além da osteoporose, a sua deficiência também pode causar:

  • Raquitismo em crianças;
  • Fadiga muscular;
  • Infecções respiratórias, gripes e resfriados constantes;
  • Diabetes;
  • Doenças cardiovasculares.

Grupos de risco

Além das pessoas que passam muito tempo trancadas em escritórios e demais ambientes fechados, há também outros grupos de indivíduos mais propensos a sofrerem com a deficiência da vitamina D, como por exemplo:

  • Idosos;
  • Gestantes e lactantes;
  • Portadores de doenças renais;
  • Portadores de doença inflamatória intestinal;
  • Obesos;
  • Diabéticos;
  • Pessoas que fizeram cirurgia bariátrica.

Como tratar

Para tratar a deficiência de vitamina D, normalmente são prescritas doses de suplementos em conjunto com a exposição solar diária de forma controlada.

Contraindicações

Quando sintetizada de forma natural (através da alimentação e da exposição ao sol) não oferece riscos à saúde. Porém, a suplementação da vitamina por meio de medicamentos ou suplementos alimentares quando é feita em excesso pode causar efeitos colaterais, tais como:

  • Formação de cálculos nos rins;
  • Fraqueza;
  • Náuseas;
  • Nervosismo;
  • Hipertensão arterial.

Para evitar esses e outros efeitos incômodos, é necessário que a suplementação de vitamina D seja feita por um profissional de saúde, após a análise de exames laboratoriais.

Quer aprender sobre alimentação saudável, saúde, bem-estar e sustentabilidade? Só aqui no NAMU você encontra informações e dicas úteis para viver em plena harmonia. Além de conteúdos exclusivos que contribuirão para que adquira mais qualidade de vida, temos também cursos online para que você possa praticar esses ensinamentos quando e onde quiser!


Recomendados
Saúde

Conheça 7 alimentos que ajudam na TPM

Ela tem data certa para aparecer e todo mês ela...

Saúde

Os 4 principais motivos que levam ao estresse no home office

Que o home office já é uma realidade para muita...