fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Saúde » Saúde Mental » Gerais

Saúde

Ortorexia: a obsessão pelo saudável

Caracterizada pela compulsão por comida biologicamente pura, a ortorexia pode facilitar a contração de doenças ligadas à falta de vitaminas no organismo
Da redação
27/09/19

Já foi a época em que a população era mal informada e não tinha conhecimentos dos alimentos que ingeria. Hoje, o alto número de informações disseminadas nos veículos de comunicação e na internet contribui para a escolha de pratos mais saudáveis e “livres” dos temidos conservantes, mas que pode causar a ortorexia.

Engana-se, porém, quem acredita que optar por uma alimentação que contenha níveis elevados de gordura trans, sódio e açúcar seja a única vilã da saúde. Afinal de contas, ter obsessão por alimentos saudáveis também pode desencadear prejuízos ao organismo. Confira a seguir:

Ortorexia, um distúrbio alimentar nada saudável

A obsessão pela comida saudável já tem nome, é designada ortorexia, termo criado pelo médico Steven Bratman. Esse distúrbio alimentar é caracterizado pelas pessoas que procuram consumir excessivamente os alimentos biologicamente puros. Assim, elas acabam por deixar de lado grupos importantes de nutrientes, como as vitaminas, por exemplo. 

o que é ortorexia

Diferente da anorexia e bulimia, os ortoréxicos não deixam de comer ou eliminam o que comem depois de ingerir. Porém, suas ações também podem ser altamente perigosas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ortorexia atinge 28% da população ocidental.

Para a nutróloga Andréa Pereira, essa compulsão com a qualidade alimentar, além das deficiências nutricionais, faz com a pessoa deixe de comer fora de casa, inclusive na residência de amigos e familiares e pode até levá-la ao pânico.

O foco da ortorexia é manter o bom funcionamento do organismo e a qualidade de vida. Nem que para isso seja preciso se privar praticamente de tudo o que está a sua volta. Dessa forma, agrotóxicos, conservantes, transgênicos e alguns tipos de carne passam a ser proibidos.

Prejuízos

Esse desejo pelo saudável não seria ruim, se não oferecesse prejuízos aos portadores do distúrbio. Confira a seguir os principais:

  • Isolamento social: a compulsão pela alimentação saudável faz com que o indivíduo passe a evitar reuniões familiares e encontros com os amigos, principalmente os que envolvem comida. Isso porque quase nunca o portador do distúrbio aceita a forma de uso e preparo dos alimentos por outras pessoas. Ou ainda, temem ser chamados de neuróticos;
  • Déficit nutricional: quem tem ortorexia também corre o risco de desenvolver anemia e insuficiência de vitaminas, por exemplo. Isso se deve ao fato de que em busca de uma alimentação 100% saudável esse grupo de pessoas acaba por excluir alimentos ricos em nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo;
  • Ansiedade: quem sofre do distúrbio também está sempre em busca de novas descobertas no mundo nutricional. E isso envolve novas formas de preparação de alimentos e funcionalidades atribuídas aos ingredientes. Além disso, as pessoas se sentem culpadas quando consomem produtos que não são saudáveis, o que afeta diretamente a paz interior de cada uma. Condicionar a felicidade ao que se come, então, pode gerar ansiedade e até mesmo baixa autoestima.

Cabe ressaltar que assim como qualquer outro transtorno alimentar, a ortorexia também deve ser levada em consideração.

Sintomas

Examinar detalhadamente a comida, não ingerir refeições preparadas por outras pessoas, reduzir ao máximo o cardápio e recriminar os demais por não consumir os mesmos alimentos estão entre os principais sintomas desse mal. Então, é preciso ficar atento a esses sinais e procurar ajuda imediata com especialistas da área.

“A presença de uma preocupação excessiva com a alimentação saudável, quando percebida, já deve ser encaminhada a um profissional adequado. Isso porque quanto antes for feito o diagnóstico, melhor o prognóstico e a chance de cura. Assim, um psicólogo ou um psiquiatra são indicados para atender e entender as causas dessa obsessão. Já o nutricionista ou um nutrólogo devem avaliar os distúrbios nutricionais”, aconselha Pereira.

A ortorexia ainda não foi reconhecida como doença, pois, segundo a nutróloga, há uma série de critérios médicos para um transtorno ser incluído como doença no manual de psiquiatria. Mesmo assim, já existem inúmeros estudos científicos sobre o problema.

Fique atento! Para realmente ter uma vida saudável é preciso ter uma alimentação balanceada. “Todos os principais componentes da pirâmide alimentar devem ser consumidos diariamente, tais como proteínas, carboidratos, gorduras, frutas e hortaliças, fibras e produtos integrais”, finaliza a nutróloga.

Ortorexia e Instagram: o que eles têm em comum?

Um estudo publicado em 2017 pela Universidade College London revela que o uso do Instagram está associado ao aumento dos sintomas da ortorexia nervosa.

Afinal de contas, quem nunca viu no feed de notícias da rede social fotos de pratos saudáveis super elaborados e coloridos? Os estímulos visuais são tão grandes, que além de desejarem aquele tipo de alimento, as pessoas estão sendo levadas a fotografarem suas próprias refeições para publicarem na rede social.

A comunidade de alimentação saudável no Instagram tem sido cada vez mais crescente. Contudo, segundo o estudo, o costume de sair fotografando tudo o que come pode estar associado ao desenvolvimento do distúrbio alimentar. Inclusive, os resultados da pesquisa sugerem que o uso da rede social está ligado ao aumento dos seus sintomas.

Quer evitar a ortorexia e montar um cardápio equilibrado e cheio de benefícios de verdade? Então conheça as aulas online de gastronomia saudável do Namu Cursos. Em cada aula, você aprende receitas saborosas e super nutritivas, preparadas com ingredientes naturais. Saiba mais clicando aqui


Recomendados
Meditação

5 exercícios para relaxar no home office

O super aplicativo app Namu possui mais de 240 ...

Florais

Fitoterapia: como melhorar a ansiedade

Se você só conhece a passiflora como fitoterápi...