Por que poucos homens praticam terapias vinculadas à dança?

Apesar de as principais referências na área sejam femininas, não há contraindicações quanto aos benefícios masculinos para as terapias vinculadas à dança. No início da década de 1920, havia bailarinos profissionais, tanto como havia bailarinas, mas foram as mulheres que se interessaram em fazer aproximações entre os conhecimentos acerca do movimento com a área da saúde, configurando um quadro prioritariamente nas referências da área. Entretanto, atualmente, há muitos homens tornando-se referência nos estudos do movimento e, nas sessões de terapias vinculadas à dança, é possível observar tanto público feminino como masculino.