Quais os cuidados especiais para estabelecer críticas à filosofia de Hegel?

Um problema comum é a contraposição da filosofia hegeliana às outras filosofias. Há uma dificuldade inata nessa tarefa, porque a filosofia de Hegel possui um discurso próprio, que dificulta toda interpretação que é feita a partir de fora dos seus pressupostos. Por exemplo, quando tentamos visitar os conceitos hegelianos isoladamente, mas que cumprem um papel em estágios muito determinados do sistema. Além disso, e esse é o argumento principal, como na dialética hegeliana algo se põe numa contradição entre o que foi e o seu devir, é difícil analisar de forma isolada cada conceito presente no percurso do Espírito. Em outras palavras: a dialética hegeliana constrói o seu discurso filosófico diferentemente do discurso analítico. Numa análise, é possível estabelecer as conexões de um modo causal, enquanto na dialética o processo não se dá pela causalidade. A tarefa complicada não é entrar no sistema hegeliano, mas como sair dele. Marx, nos Manuscritos Econômicos (1844), havia deixado esta dúvida para a posteridade: “o que fazer diante da dialética hegeliana?”.