A quantidade de flúor e cloro existente na água pode afetar a saúde das pessoas?

Atualmente, há um enorme debate em torno da quantidade de cloro e flúor na água. Enquanto a falta de flúor pode reduzir prevenção efetiva das cáries nas pessoas; o excesso causa fluorose, que é o surgimento de manchas nos dentes. No caso do cloro, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), níveis de quatro partes por milhão ou menos na água potável são aceitáveis. No Brasil, após a desinfecção, a água deve conter um teor mínimo de cloro residual livre de 0,5mg/l. Acima disso, o cloro pode causar sérios problemas de saúde como asma, eczema, doença cardíaca, maiores taxas de aborto, defeitos de nascimento e até mesmo câncer.

De certa forma, a cloração de água potável é uma das maiores conquistas da história da saúde pública, porém, a utilização excessiva de cloro pode transformar a solução em problema. No Brasil, na maioria dos casos, o que prejudica a qualidade da água é mais a má conservação das caixas d´água do que a quantidade que ela recebe de cloro e flúor.