fbpx
Logo portal NAMU
HOME » Sustentabilidade » Cidades » Abastecimento

Cidades

Adeus lâmpadas incandescentes

Até 2016, os produtos deixarão de ser comercializados no Brasil por consumirem muita energia
Bruno Torres
16/10/15

Os Estados Unidos não importam ou produzem lâmpadas incandescentes desde 1º de janeiro de 2014, assim como já acontecia na Europa e Austrália. No Brasil, a situação não é diferente. Até 2016, essas lâmpadas não serão mais fabricadas aqui. A proibição começou de forma gradual, desde junho de 2013 já não são mais comercializadas os produtos de 60 watt.

O motivo da restrição é o desperdício de energia gerado pelos objetos. Elas consomem cinco vezes mais energia que as lâmpadas fluorescentes, que iluminam do mesmo jeito. Apenas 5% da energia consumida pelas incandescentes são transformados em luz, os outros 95% resultam em calor. Já nas lâmpadas fluorescente a porcentagem de energia transformada em luminosidade aumenta para 80%.

Outro favor contrário às luzes amarelas é sua vida útil. Segundo o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), elas duram 8 vezes menos do que as fluorescentes. 


Recomendados
Poluição

Tipos de poluição: como o excesso de estímulos prejudica a saúde

Os diversos tipos de poluição das grandes cidad...

Gerais

Paulo Ito e o grafite que incomoda

Artista expõe em suas obras situações problemát...