Namu é

Conheça mais sobre o NAMU

Saiba mais sobre

Viaje o mundo sem pagar hospedagem

Projeto criado por brasileiros promove voluntariado e troca de conhecimentos em mais de 90 países

StockSnap / Pixabay / CC0 Creative Commons

A equipe Worldpackers é formada por jovens que amam viajar

Eric Faria e Riq Lima são brasileiros, jovens e empreendedores. Apaixonados pelo hábito de viajar e conhecer novos lugares, eles criaram o projeto Worldpackers, com a finalidade de expandir pelo mundo a oportunidade de viajar sem gastar muito dinheiro e ainda adquirir aprendizado e conhecimentos singulares.

"E se todo mundo conseguisse viajar?", questiona Eric. "Quantas pessoas conseguem fazer isso hoje no Brasil? Ainda é uma parte muito pequena da população. Se conseguirmos fazer com que mais pessoas viagem, teremos mais riquezas cultural e humana", defende.


Ricardo Lima deixou o trabalho no mercado de ações em São Paulo e saiu viajar pelo mundo.

A ideia de trocar hospedagem solidária em diversos lugares do mundo nasceu de experiências voluntárias dos idealizadores. Eric morou nos Estados Unidos por alguns meses para aprender inglês. “Eu estudava em um local onde 70% das pessoas falavam português e não tinha contato direto e constante com o idioma. Quando resolvi estender minha viagem trabalhando como voluntário em um hostel em San Diego na Califórnia, desenvolvi o idioma rapidamente e aprendi na prática", relata.

Saiba como participar

O projeto funciona em uma plataforma on-line desenvolvida por João Machini (responsavel pela tecnologia e design do site) na qual os interessados se cadastram. As vagas são liberadas entre hóspedes e hospedagem por meio da troca entre serviços e habilidades por um lugar para ficar. As oportunidades são oferecidas por hostels no Brasil e em mais noventa países espalhados pelo mundo. Desde grandes cidades turísticas até praias desertas, vilas e paisagens peculiares. "Nossa ideia é ampliar as possibilidades de destino dos viajantes, saindo das rotas tradicionais e mais conhecidas", completa Riq Lima.


O empreendimento dos jovens brasileiros já alcançou mais de 90 países em todos os continentes.

Comunidade global

Lançado em fevereiro de 2014, o trabalho inovador se destacou em uma competição de start-ups da Start up Farm, realizada na IBM. "Foi muito gratificante vencer uma competição de empresas de tecnologia com um projeto social. Isso mostra essa mudança de consciência das pessoas e a preocupação em realizar sonhos. Acredito que se trate de uma mudança global, uma revolução completa", comenta Lima.

A internet, principal ferramenta utilizada pelo Worldpackers, facilita o caminho para que cada vez mais pessoas conheçam o projeto e possam entrar para a rede. "Nossa ideia faz parte de uma transformação maior pela qual a sociedade está passando. A cultura da sharing economy, dos espaços coletivos de trabalho, dos sites e comunidades de troca se intensifica cada vez mais", acredita Lima.

Ser feliz em qualquer lugar do mundo

"Nós partimos da ideia de que em algum lugar do mundo sempre terá gente precisando de algo que sabemos fazer. Quando as pessoas fazem o que gostam, elas se realizam. Por isso, queremos promover essa troca, tornar isso possível e criar uma comunidade global de pessoas dispostas a trocar suas habilidades e em contrapartida, conhecer uma nova cultura e novos lugares", explica Faria. Hoje, cada vez mais pessoas querem viajar dentro e fora do Brasil. "Em uma pesquisa que vimos recentemente, o terceiro maior sonho do brasileiro é empreender, o segundo é ter uma casa própria e o primeiro é viajar. Isso significa que as coisas mudaram, e que viajar se tornou uma meta na vida da população, trata-se de uma autorrealização", destaca Lima.


Viajar nos permite entrar em contato com culturas diferentes, aprender outro idioma e conhecer lugares novos.

O vírus de viajante

"Temos quase 10 mil pessoas utilizando a plataforma, estamos presentes em mais de 90 países", conta Lima, que deixou o trabalho de acionista do mercado financeiro em São Paulo para viajar pelo mundo e agora dedica-se ao Worldpackers.


"As coisas mudaram, e que viajar se tornou uma meta na vida da população", destaca Riq Lima

Toda publicidade do projeto aconteceu de forma espontânea. "A rede aumentou através da divulgação das pessoas nas redes sociais, dos hostels que trocam informações e de indicações dos viajantes". Os dois empreendedores afirmam que viajar pelo mundo era um sonho deles e, por meio do Worldpackers, constataram que se trata do sonho de muita gente.

Para saber mais

O cadastro e o acesso à plataforma podem ser feitos na página do Worldpackers. Para mais informações sobre os destinos e vagas disponíveis, acompanhe a página do Facebook.

Fotos: Divulgação