fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU

Cabelos

O que é

Composição do cabelo: a estrutura principal do fio é formada por 45,2% de carbono, 27,9% de oxigênio, 6,6% de hidrogênio, 15,1% de nitrogênio — que juntos formam os aminoácidos responsáveis pela produção da queratina — e 5,2% de enxofre. Porém, existem mais elementos na fibra capilar. Além desses elementos, os cabelos também têm outros traços que podem diferir dependendo do local de moradia e dos costumes alimentares de cada pessoa. Essas substâncias formam uma estrutura única nos fios, o que torna muito difícil a probabilidade de que uma pessoa tenha pelo menos nove elementos iguais à outra, como se fosse um DNA.
Quantidade de cabelo: a quantidade de fios na cabeça depende da idade. Entre 20 e 30 anos um humano apresenta em média 615 fios por centímetro quadrado, algo em torno de 150 mil fios. Entre os 30 e 50, esse número cai para 485 e vai diminuindo com o tempo. Uma pessoa de 80 anos com saúde, e sem apresentar calvície, tem 435 raízes por centímetro quadrado.
Estrutura do cabelo:
– couro cabeludo: é a pele que reveste o crânio e que suporta os cabelos;
– folículo piloso: é a parte invisível do cabelo, escondida no couro cabeludo a 4 mm, trata-se de uma espécie de saco, também chamado de folículo pilossebáceo, que contém o bulbo piloso e o cabelo propriamente dito. Um bebê quando nasce têm de 100 mil a 150 mil folículos no couro cabeludo, cada um produz um fio. Eles não desaparecem com a idade, apenas deixam de produzir cabelos;
– bulbo piloso: ou raiz do cabelo, está contido no folículo piloso, sob o couro cabeludo, situado precisamente na extremidade baixa do folículo piloso. É onde o cabelo é produzido. Cresce na raiz cerca de 1 cm por mês.
– fio de cabelo:
1) cutícula: é a camada protetora externa que recobre o córtex de cada fio de cabelo e é responsável por seu brilho e textura. Composta de 6 a 8 camadas de células planas sobrepostas, coberta por uma camada invisível de lipídios resistente à água, que age como um condicionador natural e que dá aos fios uma textura sedosa e macia ao toque.
2) Córtex: é responsável por quase todas as propriedades que definem e fazem único cada cabelo humano, como a forma, a cor, a resistência, a elasticidade e a quantidade natural de umidade dos fios. Ele é mais resistente que o aço, e pode se alongar até 30% sem grandes danos significativos. Entretanto, assim como a cutícula, necessita de cuidados e sofre pelos mesmas causas já mencionadas, como químicos, excesso de calor e fricção. Como esta camada do fio é mais interna, seus danos são piores quando ocorrem, geralmente rompendo a capacidade do córtex de manter a umidade (hidratação) dos fios e deixando o cabelo ressecado e frágil.
3) Medula: a última parte da estrutura do cabelo, seu núcleo central chamado medula, não tem uma função específica no cuidado dos fios e se encontra em geral apenas nos cabelos brancos.
A cor do cabelo: é definida pela quantidade de melanina, o mesmo pigmento que dá cor à nossa pele. Ela é produzida no interior do folículo de cabelo e se distribui ao longo do fio, nem sempre uniformemente, causando as “mechas naturais”.
Existem dois subtipos distintos de melanina que se combinam em diferentes proporções, o que explica o porquê de tantas variedades de cor.
O primeiro subtipo é a eumelanina, responsável pelos pigmentos pretos e castanhos escuros. O segundo é a feomelanina, que forma quase exclusivamente o cabelo ruivo. A mescla dos dois tipos e a menor quantidade causa os cabelos castanhos claros, loiros e intermediários.
Os fios brancos: a genética desempenha o papel mais importante na definição do tempo inicial e quantidade dos fios de cabelo brancos. Com o passar do tempo, as células que produzem o pigmento de melanina diminuem sua atividade, produzindo cada vez menos quantidade; e se extingue a renovação de células pigmentadoras. Aos 50 anos, uma média de 50% das pessoas possui 50% do cabelo branco.
É importante mencionar que a falta de cor do cabelo não é um sinônimo de danos, os fios também vão perdendo seu diâmetro por outras alterações celulares com a idade, o que os deixa mais finos e frágeis.
Tipos de cabelo:
Liso;
Levemente ondulado;
Mais ondulado;
Levemente encaracolado;
Encaracolado;
Afro.
Apesar de serem compostos pelos mesmos componentes, os vários tipos diferentes de cabelo – fino, ondulado, médio, grosso, cacheado – dependem de três fatores para compor essas diferenças: as propriedades da superfície, o grau de curvatura do fio e o diâmetro da fibra capilar.
1) Superfície: depende basicamente de ser um cabelo virgem ou quimicamente alterado, danificando a camada de queratina. Quando tingido, alisado por progressiva, queratina ou relaxamento, ou cacheado por permanente, seu escudo hidratante natural, composto por uma pequena camada de ácidos graxos protetores, também conhecida como camada F, se elimina, o que afeta a estrutura celular do cabelo.
A camada F age como um impermeabilizante para o fio capilar, o que explica, por exemplo, o porquê dos cabelos tingidos ou quimicamente tratados absorverem água como uma esponja. Quando úmido, o cabelo tingido pode aumentar seu peso em até 200%, enquanto um cabelo virgem aumenta no máximo entre 12 e 18%. Essa camada também é responsável por manter a cutícula suave e leve, o que permite ao cabelo refletir luz e brilho. Por retirá-la, os tratamentos químicos geralmente fazem que, com o passar do tempo, o cabelo fique com uma aparência opaca e apagada não houver cuidados os necessários;
2) Curvatura: a curvatura do cabelo é o termo técnico utilizado para se referir ao grau de cacho de uma fibra capilar. À medida que o grau de cacheado aumenta outras propriedades da fibra, como o diâmetro, passam a ser menos decisivas para o visual final que o cabelo vai ter e como ele vai se comportar com o clima e a rotina.
Cada fibra capilar cacheada tem um padrão de crescimento natural único e pode retorcer-se e girar em múltiplas direções. O cacheado pode variar de cachos bem definidos naturalmente e outros em que a fibra tem um padrão próprio e diferente de cacho, deixando um visual mais “bagunçado”;
3) Diâmetro: para que um fio ou fibra capilar seja considerado grosso ou fino, se mede seu diâmetro, independentemente da quantidade de fios que a pessoa tenha. O diâmetro do cabelo humano varia entre 15 micrones (muito fino) a 170 micrones (extremadamente grosso), tendo o diâmetro da raiz no couro cabeludo entre 60 e 110 micrones, cujo impacto é significativo na maneira de pentear e caimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *