fbpx
Procurar no site Namu
Logo portal NAMU

O que é

Conhecer locais sagrados é um dos impulsos mais antigos e universais do homem e diz respeito a uma das necessidades mais profundas do ser humano: o relacionamento com o divino e a busca pela transcendência. Viajar a locais sagrados pode propiciar a conexão com as verdades interiores. Para o peregrino religioso, viajar a locais sagrados é uma oportunidade de autoconhecimento através do encontro com a divindade. Portanto, turismo religioso envolve a visita a locais considerados sagrados.
Viagens a locais sagrados podem significar uma oportunidade para autorreflexão e transformação pessoal. Viajar pode fazer parte de um processo de evolução espiritual. Os locais sagrados podem ampliar a conexão com as verdades interiores.
O sagrado pode estar em um templo, em uma igreja, no alto de uma montanha ou debaixo de uma cachoeira. Mas os locais considerados sagrados, que de alguma forma marcaram a história, inspiram as pessoas que, por este motivo, se dirigem a eles. O desejo de encontro com algo maior é o que leva as pessoas a transitar por lugares onde passaram grandes mestres e personalidades religiosas.
Entre as motivações que fazem as pessoas se dirigirem a locais sagrados podemos destacar: desejo de autoconhecimento; busca de conexão com realidades mais sutis; e sentimento de integração com algo transcendente.
As peregrinações religiosas representam ao mesmo tempo renúncia e salvação. Enquanto percorre caminhos inóspitos, o peregrino pode experienciar que também diminui a distância que o separa de Deus. Em sânscrito, língua com uso litúrgico no budismo e no hinduísmo, peregrinação pode ser traduzido como Yatra e significa jornada de transformação.
No geral, o turismo religioso é formado por
• Peregrinações e romarias;
• Retiros espirituais;
• Festas, comemorações e apresentações artísticas de caráter religioso.
• Encontros e celebrações relacionados à evangelização de fiéis;
• Visitação a espaços e edificações religiosas (igrejas, templos e santuários);
• Realização de itinerários e percurso de cunho religioso e outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *