Ramificações

Escola de Frankfurt: Também chamada de “teoria crítica”, foi uma escola interdisciplinar que procurou pensar os problemas do mundo a partir da chave marxista. É considerada uma teoria crítica porque se filia à ideia de práxis-teoria, opondo-se à hegemonia da teoria tradicional, dogmática como o racionalismo. Os trabalhos do frankfurtianismo compreendem algumas obras clássicas, como A Dialética do Esclarecimento (1944), de Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973), os trabalhos sobre literatura de Walter Benjamin (1892-1940), a relação entre psicanálise e marxismo em Herbert Marcuse (1898-1979) e Eric Fromm (1900-1980), a relação entre a razão comunicativa e emancipação em Jürgen Habermas (nascido em 1929), e a retomada dos estudos hegelianos para o problema do reconhecimento feita por Axel Honneth (nascido em 1949).

Análise literária:– Com A Alma e as Formas (1911) e a Teoria do Romance (1934) de Georgy Lukács (1885-1971), como também com o alemão Walter Benjamin (1892-1940) – A Obra de Arte na Era de sua Reprodutibilidade Técnica (1936) e Origem do Drama Barroco (1928), o marxismo entrou na esfera da análise da literatura. Surgiram desse legado importantes análises sobre o gênero da narrativa, do romance e do teatro, sobretudo do processo ideológico e alienante da produção artística no capitalismo.

Para pensar

Marx pensa o comunismo como a liberdade plena. Mas como seria possível unir de forma igualmente plena os interesses individuais e coletivos no comunismo?

O grande problema teórico é a concepção sobre o que seria a natureza humana. Se para o marxismo não há uma essência transcendente e a-histórica sobre a liberdade humana, o que permite contrapor a ca...

VEJA MAIS

Possibilidades

veja mais sobre o tema